O que o ruído no ambiente de trabalho causa no nosso corpo?

Segundo a OMS, a poluição sonora é a terceira poluição que mais afeta o nosso planeta. Estamos expostos a ruídos 24 horas por dia e parece até que nos acostumamos com ele. O problema é que ainda existem problemas relacionados à longa exposição ao ruído mesmo quando supostamente o ignoramos.


Apenas na União Européia a OMS estima que cerca de 40% da população está submetida a níveis excessivos de ruído de tráfego, em outros locais do mundo como países em desenvolvimento o problema pode ser ainda maior.


É normal que a primeira associação que todos nós fazemos quando pensamos nas consequências da exposição a ruídos excessivos é com relação ao distúrbio do sono. De fato, de acordo com a OMS, esse é o maior efeito da poluição sonora na nossa saúde, mas não é o único [1].


Exposição prolongada a níveis de ruído excessivos também causam incômodo, o que é visto como o segundo maior efeito da poluição sonora na nossa saúde [1]. E embora a palavra incômodo possa parecer simplista de muitas formas, os seus efeitos vão muito além do que conseguimos compreender.


O ruído e as suas consequências fisiológicas

Como você talvez já tenha percebido até aqui, os efeitos do ruído no nosso corpo rendem bastante assunto. Não conseguiríamos sequer arranhar as superfícies das suas consequências na nossa saúde em um único artigo aqui no blog, por isso que hoje vamos focar um pouco nos efeitos do ruído no ambiente de trabalho.


Ruído causa estresse. Exposições a ruídos intensos causam medo momentâneo, mudanças na frequência dos batimentos cardíacos, mudanças na pressão arterial e na velocidade de respiração assim como várias outras consequências [2].


Nosso ouvido não foi feito para que fôssemos expostos a ruídos o tempo inteiro, muito pelo contrário. Nós evoluímos como seres humanos em ambientes extremamente silenciosos e o nosso ouvido sempre foi uma fonte primária de proteção, por isso que qualquer exposição momentânea a ruídos intensos pode causar efeitos tão dramáticos no nosso corpo.


O ruído e a produtividade

Nós “saímos” da natureza mas a natureza não saiu do nosso corpo. Embora hoje a gente viva em ambientes tão diferentes do que costumávamos viver, alguns mecanismos do nosso corpo ainda funcionam como funcionavam há alguns milhares de anos atrás.


Mas o maior problema disso tudo é que tratamos o ruído como algo que temos que aprender a conviver, mas não deveria. O ruído tem implicações muito sérias não só na nossa saúde, mas também na nossa produtividade de uma maneira geral.


No ambiente de trabalho, estamos expostos a ruídos o tempo inteiro. Seja da impressora sendo utilizada, seja por causa da conversa entre dois colegas próximos ou por causa da máquina de café. O problema tende a ser ainda maior quando estamos tratando de um escritório de plano aberto onde existe um número razoavelmente grande de pessoas e fontes de ruído ocupando o mesmo espaço.


Como já sabemos, nosso cérebro foi treinado por milhares de anos de evolução a identificar ruídos momentâneos e direcionar nossa atenção para a fonte do ruído, o que impacta diretamente na nossa capacidade de concentração e na nossa produtividade. Você já sentiu dificuldade em se concentrar em um ambiente muito ruidoso? Pois é, agora você sabe o porquê.


O interessante é que uma pequena dose de ruído também pode ter um efeito positivo na nossa concentração. Enquanto que o ruído pode ser extremamente prejudicial em tarefas complexas ou que exijam execução rápida, em tarefas simples sendo executadas em ambientes extremamente silenciosos uma pequena dose de ruído com características contínuas pode trazer benefício à produtividade [2].


Como o ruído se comporta em escritórios de plano aberto?

O maior desafio, no entanto, é conciliar as várias fontes de ruído, as várias dinâmicas pessoais de trabalho e a várias tarefas que estão sendo executadas em um único espaço, de modo que todos possam ter uma produtividade considerável.


Escritórios de plano aberto podem ser uma maravilha do ponto de vista arquitetônico e no orçamento das empresas, mas se não forem muito bem pensados, podem ser um completo desastre do ponto de vista acústico.


Fontes mal posicionadas, ruídos de impacto de calçados contra o piso, condicionamento acústico inadequado e som ambiente excessivamente alto podem perfeitamente destruir a produtividade da sua empresa.


O que parece ser muito bom no papel, pode te render desafios e custos além do imaginável, que é o que vem sendo reforçado por pesquisas que tentam entender se escritórios sem paredes são realmente a melhor opção para o trabalho em equipe.


A parte mais preocupante disso tudo é que não só estamos sendo expostos a ruídos no nosso espaço de trabalho, como também na rua e na nossa própria casa. Estamos sendo bombardeados com ruídos durante praticamente todo o período que estamos acordados e isso tem uma consequência muito séria na nossa saúde. Precisamos de espaços mais silenciosos urgentemente e isso demanda uma mudança de prioridade nos nossos projetos.


Mas e o home office?

Com os últimos acontecimentos, não poderíamos concluir esse artigo sem falar um pouco sobre o home office, a modalidade que ganhou espaço depois das medidas de isolamento social e que parecem estar virando tendência em algumas empresas.

O isolamento social nos obrigou a ficar em casa o tempo inteiro, o que pode ser muito bom em certos aspectos mas tem se tornado um desafio gigante. Agora, não só temos que conviver com os ruídos dos nossos vizinhos, que também não costumavam trabalhar em casa, como também somos obrigados a conviver com as diferentes rotinas das pessoas de uma mesma família.


Para alguns, o home office virou um paraíso enquanto que para outros virou uma verdadeira provação e um período de baixa produtividade, o que tem consequências não só na nossa saúde física como também na nossa auto-estima e saúde mental.


Mais do que nunca nós percebemos, na grande maioria das vezes, que a nossa casa não foi preparada para ter o isolamento acústico adequado. Mas e agora, o que fazer se o ambiente já está completamente construído? Bom, não vamos entrar muito nestas questões por enquanto ou nosso artigo vai se alongar demais. Mas se você quer algumas dicas sobre como melhorar seu home office, pode continuar a sua leitura com este artigo aqui.


Se você se identificou com qualquer um desses problemas, o ruído pode estar afetando a sua produtividade drasticamente. Por isso que nós, consultores de acústica, enfatizamos tanto a necessidade de pensar na acústica do ambiente não só nos casos onde exista a prática musicais, mas também em ambientes comerciais e corporativos.


A acústica dita muito do nosso comportamento e como você pôde perceber também tem consequências bastante drásticas na nossa vida e na nossa produtividade!


Referências: [1] Guski, Rainer, Dirk Schreckenberg, and Rudolf Schuemer. "WHO environmental noise guidelines for the European region: A systematic review on environmental noise and annoyance." International journal of environmental research and public health 14.12 (2017): 1539.


[2] Bies, David A., Colin Hansen, and Carl Howard. Engineering noise control. CRC press, 2017.

53 visualizações

Gostou desse artigo? Você também pode se inscrever na nossa newsletter e receber notificações direto no seu e-mail quando outros artigos que nem este forem publicados aqui no blog!

 

©2018 by Concepcao Acústica

  • YouTube - círculo cinza
  • Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle