• Lucas C. L. Falcão

O que são câmaras anecoicas?

Quando começamos a estudar sobre acústica escutamos falar muito sobre salas anecoicas e sobre como elas são o auge de um projeto acústico. Elas de fato são salas interessantes, mas muita gente tem uma ideia um pouco confusa sobre o que são as câmaras anecoicas de fato.


O que é uma câmara anecoica?

O termo anecoico refere-se a sem eco. Ou seja, ela é uma sala que tenta simular um ambiente totalmente ausente de reflexões. Isso significa que a sala tem um tempo de reverberação muito próximo de zero. Na verdade nunca chegamos a zero porque mesmo preenchendo toda a sala com espumas absorventes, as espumas não são perfeitas, o que faz com que elas também criem reflexões em regiões de frequência onde esses materiais não respondem bem.


Então a ideia é que esta sala simule um ambiente totalmente aberto onde todas as paredes, inclusive o piso, estão virtualmente tão afastadas que podem ser desprezadas. Estas salas são usadas para pesquisas acadêmicas e para extração de propriedades acústicas de produtos comerciais. Como a sala anecoica simula um local com zero influência sob a medição, ela torna-se extremamente valiosa neste cenário.


“Quando você está fazendo engenharia acústica, em um certo momento você vai precisar medir um alto-falante ou um microfone. Você não quer que as medições sejam afetadas pelos efeitos de uma sala ou por ruídos, então você vai para um local isolado onde não existe efeito, acusticamente falando, de uma sala. Então é isso que uma câmara anecoica faz. Por isso grandes laboratórios de acústica geralmente tem uma.” Trevor Cox em entrevista à NPR.

Um nível de ruído extremamente baixo também é desejável em uma sala deste tipo. Por isso as salas são localizadas em um ambiente com baixo nível de ruído e construídas de forma a obter um bom isolamento acústico.


Como as câmaras anecoicas são construídas

Agora que você já sabe o que é uma câmara anecoica, vamos falar um pouco sobre como é feito para que esta sala tenha características tão especiais. O primeiro segredo de uma sala anecoica está nas espumas que são utilizadas na sua construção. Além de serem materiais de propriedades acústicas muito boas, estas espumas são construídas em um formato bem específico.


Para fazer com que a onda sonora fique presa entre as paredes da espuma, elas são construídas em formatos piramidais onde a sua altura é proporcionalmente bem maior que a sua base. Isso faz com que a onda sonora incidente reflita várias vezes entre as suas superfícies garantindo o máximo possível de absorção. O grande problema desse projeto é que mesmo com este tipo de material nas paredes, as frequências mais baixas continuam sendo um desafio.

Materiais porosos, na grande maioria das vezes, têm baixa eficiência nas frequências mais baixas e, por isso, não são considerados bons materiais absorvedores para estas frequências. É por esse e vários outros motivo que uma sala anecoica geralmente especifica a partir de qual frequência ela pode ser considerada de características anecoicas. Quanto menor o seu volume e o seu tempo de reverberação e mais eficiente são os seus absorvedores, mais ampla é a sua região de trabalho.


Como refletores são proibidos neste tipo de sala, o chão é substituído por uma rede e este mesmo material absorvedor é colocado sob o chão fazendo com que todas as superfícies da sala sigam este mesmo padrão.


A segunda característica de salas anecoicas é o seu baixo nível de ruído. Um isolamento ótimo é um tipo de projeto que muitas vezes pode ser muito caro e oneroso e esse com certeza é o ponto que acaba levando o custo de uma câmara anecoica à patamares tão altos. O tipo de projeto preferível para uma sala deste tipo é o box-in-box. Neste projeto são construídas duas salas, uma literalmente dentro da outra. Estas salas são construídas com paredes de alto desempenho para garantir um ótimo isolamento acústico. Em alguns casos, as câmaras anecoicas apresentam níveis de ruído tão baixos que é possível escutar seus próprios batimentos após um certo período dentro da sala. O ambiente também chega a ser tão estranho devido ao seu tempo de reverberação baixíssimo e ao nível de ruído igualmente baixo que algumas pessoas chegam a passar mal e sofrer de um certo tipo de fobia quando visitam salas deste tipo.

Figura 2: Projeto de isolamento acústico box-in-box.

Como as salas têm de ser independentes uma da outra, a segunda sala, no interior da primeira, é posicionada de forma que ela flutue dentro da primeira sala. Para fazer este trabalho são utilizados amortecedores que isolam quase que completamente a passagem de vibração da primeira para a segunda sala e vice-versa. Assim dizemos que as salas ficam totalmente desacopladas e as vibrações induzidas no prédio não são propagadas para a segunda sala.


Tudo isto envolve materiais que são projetados especificamente para este fim. São em geral materiais caríssimos e uma sala anecoica deste tipo pode facilmente chegar à um custo próximo a alguns milhões.


Se você ainda não conhece uma câmara anecoica, aproveite para dar uma volta na câmara da Universidade de Salford, em Manchester, com o professor Trevor Cox. A experiência é ainda mais interessante se você tiver um óculos de realidade virtual já que todo o vídeo foi gravado em 360º! É só clicar no vídeo aqui embaixo e assistir.



Gostou do que leu? Então segue a gente no Instagram e no Facebook e fique por dentro de mais novidades e dicas sobre áudio e acústica. Não se esqueça também de se inscrever na nossa newsletter para não perder os próximos artigos. Se você quiser ter acesso aos nossos materiais exclusivos e gratuitos para download, basta clicar aqui!


Referências:

[1] Sounds Intriguing: The World's Most Interesting Noises, 2014. Disponível em: <https://www.npr.org/transcripts/274717997>. Acesso em Janeiro de 2019.

128 visualizações
 

©2018 by Concepcao Acústica

  • YouTube - círculo cinza
  • Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle